Amor que não se mede casal

 

Amor não tem medida... Parte de "metro" de pedreiro com pessoinhas, faixa gravada em metal e escadinha, uma peça super delicada e diferente. Perfeito para presentar aquela pessoa especial.

 

Obs. as peças são desenvolvidas num processo artístico e, portanto, cada peça é única. Pequenas alterações são previsíveis neste processo.

 

Infos:

Material | Metal

Acompanha gancho para parede

 

Dimensões (AxL): 

8m x 20cm

 

Sobre o artista:

Paty Fernandes é biologia e arquiteta apaixonada por poesia nas suas mais diversas manifestações. É adepta daquilo que chama de "Design Poético".

Sempre gostou de garimpar objetos do cotidiano que, com algumas intervenções e um pouco de humor, subverto sua utilidade original e o converto em um "Objeto Poético". Sua nova função será aquecer o coração.

Uma outra vertente de seu trabalho é usando diversos materiais (metal/ ouro/ cimento/ madeira/ tecido)  desenhar e produzir outros "Objetos Poéticos"  cheios de significado e delicadeza sempre aliando a tecnologia ao trabalho artesanal,  para que cada peça, mesmo feita em série, seja única. Às portas dos tempos da "internet das coisas" procuro encontrar a "poesia das coisas".

Amor que não se mede meninos

R$400,00
Amor que não se mede meninos R$400,00
Entregas para o CEP:

Meios de envio

  • Mimo Galeria Que tal agendar um horário? Rua Bom Jesus, 134 - Piracicaba Atendimento: Segunda a Sexta-feira das 10:00 as 17:00hs

    Grátis

Amor que não se mede casal

 

Amor não tem medida... Parte de "metro" de pedreiro com pessoinhas, faixa gravada em metal e escadinha, uma peça super delicada e diferente. Perfeito para presentar aquela pessoa especial.

 

Obs. as peças são desenvolvidas num processo artístico e, portanto, cada peça é única. Pequenas alterações são previsíveis neste processo.

 

Infos:

Material | Metal

Acompanha gancho para parede

 

Dimensões (AxL): 

8m x 20cm

 

Sobre o artista:

Paty Fernandes é biologia e arquiteta apaixonada por poesia nas suas mais diversas manifestações. É adepta daquilo que chama de "Design Poético".

Sempre gostou de garimpar objetos do cotidiano que, com algumas intervenções e um pouco de humor, subverto sua utilidade original e o converto em um "Objeto Poético". Sua nova função será aquecer o coração.

Uma outra vertente de seu trabalho é usando diversos materiais (metal/ ouro/ cimento/ madeira/ tecido)  desenhar e produzir outros "Objetos Poéticos"  cheios de significado e delicadeza sempre aliando a tecnologia ao trabalho artesanal,  para que cada peça, mesmo feita em série, seja única. Às portas dos tempos da "internet das coisas" procuro encontrar a "poesia das coisas".